Treinador de futsal denunciado por assediar ao menos 12 jogadoras é preso em Fortaleza

treinador de futsal denunciado por assediar pelo menos por 12 atletas em Fortaleza foi preso em uma operação da Polícia Civil realizada na noite de quinta-feira (16) na Praia de Iracema. Conforme a Secretaria da Segurança, o técnico é suspeito de crimes de estupro e estupro de vulnerável.

As vítimas são garotas com idade entre 13 e 17 anos. Elas afirmam que receberam mensagens com termos obscenos e convites inadequados, além dos assédios que aconteciam durante os treinos. O clube feminino treina em uma antiga escola no Centro da capital cearense, onde ocorrem os casos de abuso, conforme a denúncia.

Elas relatam na denúncia contra o técnico de futsal:

Uma garota chegou a filmar o técnico quando ele fazia uma massagem e aproximou a mão da virilha dela; quando percebeu que era filmado, ele tira o aparelho celular dela (assista no vídeo acima).

O advogado do treinador disse que ele só vai se manifestar “em momento oportuno” e que o profissional ainda não foi intimado a depor sobre o caso.

Um áudio enviado pelo treinador a uma das atletas contém uma ameaça de morte à vítima, caso ela não se saísse bem em um jogo. Uma das vítimas também relatou que o treinador tocou várias vezes nas partes íntimas dela, sem consentimento.

“Deixa a *** com as bobagens dela que o *** dela é cabeludo. Ela não raspa nem o *** dela. Tu não. Se tu ficar com bobagem aí, eu mando te matar, viu?”, diz o áudio enviado pelo treinador.

Toque íntimos e palavras obscenas

Outra vítima que denunciou o técnico de futsal afirmou que o treinador pedia para que as atletas deitassem em camas e deitava sobre elas. Como justificativa pelo ato, ele dizia fazer parte de um “trabalho de aceleramento de coração”.

“Ele mandava a gente deitar na cama e ele deitava por cima da gente. No meio do que ele se deitava por cima da gente, ele meio que fazia gestos e pinava [toque obsceno com a genitália sob a roupa] na gente como se tivesse em uma relação sexual. Em todo tempo a gente pedia para ele parar e ele não saía”, relatou uma vítima.

Ela acrescentou que, quando sofria dor no tornozelo, o treinador pediu para que ela trocasse o short e passou uma pomada na virilha dela, chegando a tocar em sua parte íntima.

“Eu achei estranho. Ele puxou meu short e disse: ‘troca teu short porque esse teu short vai incomodar no trabalho. Aí ele me deu um bem largo. Peguei o short, troquei e ele passou pomada na minha virilha. Quando eu menos pensei, ele estava querendo colocar a mão [na parte íntima]”, contou.

Em um vídeo ao qual teve acesso, o treinador faz uma massagem nas coxas da jogadora, aproximando a mão da virilha. Quando ele percebe que está sendo filmado, ele tira o celular da jogadora. Fonte; g1

JORNAL CAUCAIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *