Portugal inicia era Roberto Martínez sem romper com o passado


Depois de oito anos de glórias e decepções na era Fernando Santos, Portugal inicia um novo capítulo com o técnico espanhol Roberto Martínez nesta quinta-feira (23), contra Liechtenstein, apostando na continuidade e no indispensável Cristiano Ronaldo.

A herança deixada por Santos pode ser uma pressão, já que com ele a seleção portuguesa conseguiu os dois primeiros títulos de sua história (Eurocopa 2016 e Liga das Nações 2019), mas a era Martínez, o terceiro estrangeiro a dirigir a equipe, tem tudo para começar com o pé direito.

Para este bom início das eliminatórias para a Euro 2024, os portugueses receberão a fraca seleção de Liechtenstein, 198ª no ranking da Fifa, antes de visitarem no domingo Luxemburgo (92ª).

Portugal chega como principal favorito do Grupo J, que também conta com Islândia, Eslováquia e Bósnia.

Como prometeu em sua apresentação oficial, em janeiro, Martínez baseou sua primeira convocação em um grupo acostumado a frequentar a seleção sob o comando de Santos.

O espanhol não fez nenhuma revolução em sua primeira lista: 23 dos 26 convocados estavam no elenco de que disputou a Copa do Mundo de 2022.

“Não olho para a idade”

Com exceção do volante William Carvalho, os demais nomes de peso seguem na equipe: o goleiro Rui Patrício, o zagueiro Pepe (atualmente lesionado) e os meias Bernardo Silva e Bruno Fernandes.

Entre as estrelas do time também está o cinco vezes Bola de Ouro Cristiano Ronaldo, apesar de seus 38 anos e de estar distante dos holofotes do futebol europeu atuando na Arábia Saudita.

“Cristiano Ronaldo está muito comprometido (…) Ele é um jogador que pode agregar experiência, um símbolo da equipe. Eu não olho a idade”, afirmou Martínez ao revelar a lista.

“Estou muito feliz por estar de volta. Ainda tenho muito a dar à seleção”, declarou Cristiano em entrevista coletiva nesta quarta-feira, na qual explicou que não faz “planos a longo prazo”, ao ser perguntado se pretendia disputar a Euro de 2024 e a Copa do Mundo de 2026.

Se entrar em campo contra Liechtenstein na quinta-feira ou contra Luxemburgo no domingo, o CR7 se tornará o jogador com mais partidas por uma seleção.

Com 196 jogos por Portugal, Cristiano divide o recorde com o atacante kuwaitiano Bader Al-Mutawa, que também continua ativo aos 38 anos, apesar de não ter sido convocado para os próximos jogos de sua seleção, contra Filipinas e Tajiquistão.

“Os recordes são uma motivação. Quero ser o jogador com mais jogos internacionais na história, seria algo para ficar orgulhoso. Mas não quero parar por aqui, quero que continuem me chamando com frequência”, declarou o camisa 7.

“Flexíveis taticamente”

Apesar da lista sem muitas novidades, Martínez parece decidido iniciar um trabalho pouco considerado por seu antecessor: a renovação da defesa.

O técnico espanhol convocou dois zagueiros estreantes: Gonçalo Inácio (21 anos), do Sporting, e Diogo Leite (24 anos), do Union Berlin.

“A seleção precisa poder jogar com dois ou três zagueiros. Temos que ser flexíveis taticamente”, explicou Martínez.

Tanto Inácio como Leite estão acostumado a jogar em suas equipes no esquema com três zagueiros, que Martínez usava na seleção da Bélgica, mas que nunca foi utilizado por Santos.

“São dois jogadores que podem agregar algo diferente à seleção”, afirmou o treinador.

Até agora, Santos sempre escalava dois zagueiros. Normalmente, um deles era o veterano Pepe (40 anos), geralmente ao lado de Rúben Dias, e as opções caso um deles não estivesse disponível eram recuar o volante Danilo Pereira ou lançar o jovem António Silva (19 anos).

Deixe seu comentário





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *