Evangelho de hoje, 3ª feira, 21/03/23 (Jo 5, 1-16) – Egídio Serpa


Houve uma festa dos judeus, e Jesus foi a Jerusalém. Existe em Jerusalém, perto da porta das Ovelhas, uma piscina com cinco pórticos, chamada Betesda em hebraico. Muitos doentes ficavam ali deitados -cegos, coxos e paralíticos -, esperando que a água se movesse. De fato, um anjo descia, de vez em quando, e movimentava a água da piscina, e o primeiro doente que aí entrasse, depois do borbulhar da água, ficava curado de qualquer doença que tivesse. Aí se encontrava um homem, que estava doente havia trinta e oito anos. Jesus viu o homem deitado e sabendo que estava doente há tanto tempo, disse-lhe: ‘Queres ficar curado?’ O doente respondeu: ‘Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina, quando a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente’. Jesus disse: ‘Levanta-te, pega na tua cama e anda.’ No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou na sua cama e começou a andar. Ora, esse dia era um sábado. Por isso, os judeus disseram ao homem que tinha sido curado: ‘É sábado! Não te é permitido carregar tua cama.’ Ele respondeu-lhes: ‘Aquele que me curou disse: ‘Pega tua cama e anda’.’ Então lhe perguntaram: ‘Quem é que te disse: ‘Pega tua cama e anda?’ O homem que tinha sido curado não sabia quem fora, pois Jesus se tinha afastado da multidão que se encontrava naquele lugar.4Mais tarde, Jesus encontrou o homem no Templo e lhe disse: ‘Eis que estás curado. Não voltes a pecar, para que não te aconteça coisa pior’. Então o homem saiu e contou aos judeus que tinha sido Jesus quem o havia curado. Por isso, os judeus começaram a perseguir Jesus, porque fazia tais coisas em dia de sábado. 

Reflexão – Vivemos inertes na nossa cama existencial!

No contexto deste Evangelho nós encontramos um homem que há trinta e oito anos esperava por ajuda, mas continuava inerte, sem perspectivas. Jesus veio sacudi-lo e questionar a sua passividade, motivando-o a sair da sua inércia e frustração para assumir a cura da sua enfermidade. Com o exemplo, Jesus nos motiva a dar passos concretos de fé quando estivermos necessitados de cura e libertação.  Muitos de nós, também, na maior parte do tempo vivemos acamados (as) nos nossos problemas e dificuldades, acomodados (as) e imóveis, somente apreciando os benefícios que outras pessoas recebem e apontando culpados para os nossos males. Não percebemos os sinais de Deus, não notamos a hora da graça e perdemos muitas oportunidades, pois, desejamos que as coisas aconteçam do jeito que esperamos. Vivemos inertes na nossa cama existencial, algo que nos prende, paralisa, acomoda e nos impede de sair em busca de tudo quanto Deus já preparou para o nosso bem. A cama aqui, tem um sentido de apatia e inércia, atitudes que nos levam a esperar pelos outros, mesmo que o indispensável para nós esteja bem perto de nós, ao nosso alcance. Precisamos ter consciência de que Jesus está sempre se aproximando de nós e, como fez com o paralítico, Ele ordena: “Levanta-te, pega na tua cama e anda!”  Esta exortação é para cada um de nós, que hoje toma a Palavra de Deus e a medita com Fé! Esta Palavra tem poder e acontece, agora! Esta é a hora da graça, não podemos desperdiçá-la! Quando paramos para orar e meditamos com a Sua Palavra, devemos ter consciência de que é o próprio Jesus quem se aproxima de nós. É nestes momentos que Ele nos aponta a direção da piscina do Espírito Santo e nos impulsiona a dar o passo decisivo para que possamos mergulhar nas suas águas. A piscina do Espírito Santo, sempre está bem pertinho de nós, no entanto, o nosso orgulho nos impede de sair de nós mesmos (as) para pedir a ajuda de alguém que nos possa levar até lá e ficamos esperando que venham ao nosso encontro. – Você tem algum problema crônico que o (a) deixa inerte e sem iniciativa? –   Por quem você está esperando para sair de situações de sofrimento na sua vida? – A Palavra que você medita tem lhe dado forças para vencer os desafios?  – Você tem conseguido mergulhar na piscina do Espírito Santo?

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária Mariana UM NOVO CAMINHO 

 





Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *