CGD afasta policial penal que matou PM a tiros em bar no Maracanaú – Segurança


A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD) afastou preventivamente das funções o policial penal Anderson Laureano Clementino, suspeito de matar o policial militar William dos Santos Medeiros. O crime aconteceu no último dia 19 de março, em um bar, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

A CGD publicou decisão sobre o afastamento e instauração de processo administrativo-disciplinar no Diário Oficial do Estado (DOE), dessa sexta-feira (14). Consta no documento que após efetuar os disparos, Anderson ainda teria apontado para a vítima “dizendo que o policial militar tinha merecido o tiro”.

A defesa do policial penal preso em flagrante afirma que Anderson agiu em legítima defesa. “O tiro foi efetuado de baixo para cima, quando o Sr. Clementino encontrava-se ao chão após sofrer um soco de uma das vítimas”, conforme o advogado Rafael Lima.

Foto: Reprodução

O CRIME

William estava em um bar no bairro Jereissati I, quando teve início uma discussão. A reportagem apurou que os policiais teriam se desentendido, porque o agente penal “mexeu” com a esposa do militar.

Eles teriam se agredido e no momento que populares tentaram apartar, Anderson Laureano Clementino sacou a arma de fogo.

Uma terceira pessoa teria tentado apartar a briga, e também foi baleada, mas não corre risco de morte.

“No local da ocorrência foi encontrada uma cápsula deflagrada, a qual foi recolhida pelos policiais militares e apresentada na DAI. A composição militar encontrou a arma do PP Anderson dentro de seu veículo”

Uma composição da Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência. Após diligências, o policial penal foi localizado e conduzido à Delegacia de Assuntos Internos e segue à disposição da Justiça.

 



Source link

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *