Bebê é internado para tratar ferimento no rosto e tem parte do dedo amputada no RJ

Um bebê de 1 ano e 7 meses teve parte do dedo amputada após um incidente no Hospital Infantil Darcy Vargas, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

De acordo com a família de Lara Souza, a amputação não tem relação com o motivo da internação criança, que deu entrada na unidade para tratar uma inflamação no rosto provocada por uma picada de um inseto.

Segundo Adriana Lemos, que é avó da menina, a paciente foi colocada no soro com antibiótico e, na hora de retirar o acesso que estava enrolado em uma atadura, a profissional de saúde acabou cortando parte do dedo mindinho.

“O dedinho da minha neta não volta mais. Não podemos nos calar”, disse a avó de Lara.

Após o ocorrido, a família procurou a 72ª Delegacia de Polícia, em São Gonçalo e denunciou o hospital por imperícia.

À CNN, a Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que os familiares da criança já foram ouvidos e que os agentes da 72ª DP também solicitaram informações para identificar os responsáveis pelo atendimento.

Funcionária afastada
Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo afirmou que a funcionária envolvida no episódio é concursada há mais de 20 anos e que tem bom histórico trabalhista.

Entretanto, a fim de aprofundar as investigações sobre o caso, a pasta abriu uma sindicância e decidiu pelo afastamento imediato da funcionária, que não teve a identidade revelada.

A prefeitura também disse que uma equipe multidisciplinar avaliou a criança e garantiu que ela não sofreu perda funcional na região do incidente.

Nota da prefeitura de São Gonçalo:

A Secretaria Municipal de Saúde e o Pronto Socorro Infantil lamentam profundamente o acidente ocorrido com a paciente e esclarecem que, desde então, vêm prestando todo o suporte necessário, através de equipe multidisciplinar, avaliação médica diária e avaliação de especialistas como cirurgião, cirurgião pediátrico, ortopedista e cirurgião plástico. Todos já avaliaram a paciente e relataram, através do preenchimento do parecer, que não há perda funcional. A funcionária, concursada há mais de 20 anos, que estava retornando de suas férias, e mesmo com bom histórico trabalhista, foi imediatamente afastada de suas atividades até o findar da sindicância que foi aberta para apurar os fatos. Todos os documentos exigidos por órgãos oficiais estão sendo disponibilizados pela unidade a fim de colaborar com o andamento das investigações. Fonte; CNN

Jornal Caucaia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *